Porto Feliz, terra das monções

Porto Feliz-Foto Marco Andre Briones
Vista do Rio Tietê e Engenho Central de Açúcar em Porto Feliz

Poucas cidades tem uma importância histórica tão grande para a formação territorial do Brasil quanto a pequena cidade de Porto Feliz, no estado de São Paulo.

Situada a apenas 120 km da capital paulista, a 1h50 de carro, Porto Feliz é considerada a capital das monções, que foram expedições fluviais ocorridas entre 1720 e 1850. Podemos considerar que as monções foram uma continuação do processo de desbravamento e exploração iniciado pelos bandeirantes paulistas e que tiveram um papel muito relevante na colonização da região Centro-Oeste do Brasil, especialmente dos atuais estados de Mato Grosso e Goiás. As monções também foram fundamentais para o desbravamento do interior do país e o alargamento das fronteiras brasileiras.

Tais expedições fluviais foram denominadas monções pois elas ocorriam entre o final de março e início de junho, quando o nível das águas era maior. Elas duravam em torno de cinco meses, durante os quais eram percorridos mais de 3500 km.

O início das monções

A aventura das monções se iniciou em 1718, quando o bandeirante Pascoal Moreira Cabral encontrou ouro nos barrancos do rio Cuiabá, no atual estado de Mato Grosso. Rapidamente a notícia se espalhou por toda a província de São Paulo e homens provenientes de todas as partes passaram a tentar chegar às novas áreas auríferas recém-descobertas.

Porto Feliz-Foto Marco Andre Briones
Museu das Monções – em restauração

Inicialmente, os bandeirantes partiam de Santana de Parnaíba. Porém, como nessa localidade o rio Tietê é bastante acidentado, decidiram partir para a província de Mato Grosso diretamente do porto de Araritaguaba. Esse era o nome indígena original da localidade, que significa “lugar onde as araras bicam a areia”. Atualmente, a cidade é conhecida por Porto Feliz e foi fundada em 1693 por Antonio Cardoso Pimentel na margem esquerda do rio Anhemby, conhecido atualmente como rio Tietê. Dizem que a cidade se chama Porto Feliz pelo fato de seus habitantes serem conhecidos por sua alegria e hospitalidade, especialmente quando as expedições fluviais retornavam e eram motivo de grandes comemorações.

O rio Tietê acabou se revelando um grande aliado dos bandeirantes pois, contrariando o fluxo da grande maioria dos rios, que normalmente se dirigem para o mar, o Tietê tem o fluxo contrário, fluindo para o interior do território brasileiro. O rio serviu de via de transporte para todos aqueles que queriam desbravar as províncias de Goiás e Mato Grosso, buscando riquezas pelo interior inexplorado do Brasil.

Porto das Monções

Porto Feliz-Foto Marco Andre Briones
Porto das Monções – Antigo Estaleiro

Às margens do rio Tietê foi construído um estaleiro, no local que é conhecido atualmente como Porto das Monções. Lá foram fabricados incontáveis batelões, que eram embarcações feitas de enormes troncos de peroba rosa escavada, inspirada pelas pirogas indígenas. Elas alcançavam até 12 metros de comprimento e podiam acomodar até 100 pessoas. Atualmente, um dos batelões usados pelos bandeirantes se encontra exposto dentro de uma redoma de vidro, no Parque das Monções. Foi muito emocionante para mim visitar o Porto das Monções e imaginar toda aquela gente partindo rumo ao desconhecido, buscando ouro e pedras preciosas nos cantos mais remotos do Brasil. A sensação ficou ainda mais forte ao ver pessoalmente um batelão original usado pelos bandeirantes em tais empreitadas.

Há muitos lugares de interesse a serem visitados em Porto Feliz. Um local importante é a antiga residência do capitão-mor José Manoel de Arruda e Abreu, totalmente feita de taipa de pilão e pau a pique. Tal residência abrigou visitantes ilustres, tais como D. Pedro II e o Duque de Caxias. A construção passou a abrigar o Museu das Monções em 1961 e atualmente se encontra em processo de restauração.

Atrações

Porto Feliz-Foto Marco Andre Briones
Casa da Alfândega – Atual Restaurante do Belini

Outra atração importante é a Casa da Alfândega, local onde era centralizada e realizada toda a cobrança de impostos das monções que retornavam de Goiás e Mato Grosso, abarrotadas de ouro e pedras preciosas. Nesse local, o ouro que chegava era quintado (pagava-se um quinto do ouro descoberto) e enviado para Portugal. A casa se localiza no Largo da Penha, que era onde os bandeirantes se reuniam para preparar as monções antes de suas partidas. Um outro fato relevante que aconteceu nesse local foi que a famosa Expedição Langsdorff partiu dessa localidade.  Ela foi uma expedição russa organizada e chefiada pelo barão Georg Heinrich von Langsdorff, médico alemão naturalizado russo, que percorreu, entre os anos de 1824 a 1829, mais de dezesseis mil quilômetros pelo interior do Brasil, fazendo registros dos aspectos mais variados de sua natureza e sociedade, partiu exatamente deste local.

Porto Feliz-Foto Marco Andre Briones
Monumento aos Bandeirantes

Atualmente, o espaço é ocupado por um tradicional restaurante da cidade, o Bar e Restaurante do Belini, conhecido na região por preparar um prato denominado “Cearense”.

No entanto, a maior atração de Porto Feliz é o Parque das Monções. Dentro dele podemos encontrar o Monumento aos Bandeirantes, o Porto das Monções, a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes, que reproduz a original, situada na França, além de um exemplar de um batelão dos bandeirantes e o famoso Paredão Salitroso.

O Paredão Salitroso é um enorme monumento natural formado por rocha salitrosa, calcário e arenito, formada há mais de 300 milhões de anos. Muitos especialistas afirmam que este sítio arqueológico abriga provas que a região esteve submersa há milhões de anos atrás, pois há grande presença de sal marinho no paredão.

Mais construções

Em Porto Feliz também se encontra o antigo Engenho Central de Açúcar.  Ele foi o primeiro da província de São Paulo e o terceiro a ser criado em todo o país. Ele foi ativo até 1991, quando foi fechado definitivamente. Atualmente o local está fechado à visitação e é inacessível ao público, podendo apenas ser visto de longe, do Parque das Monções.

Há ainda a antiga estação de trem Sorocabana, que foi transformada em biblioteca municipal e também seu armazém, que atualmente abriga um centro cultural.

Porto Feliz-Foto Marco Andre Briones
Matriz Nossa Senhora Mãe dos Homens

Do ponto de vista religioso, a maior atração da cidade é a Matriz Nossa Senhora Mãe dos Homens. Foi toda construída em taipa de pilão e pau a pique, em 1747, no estilo barroco. Há uma lenda sobre a imagem da padroeira da cidade que relata que a imagem chegou a cidade e aguardava a partida de uma monção para ser levada. Entretanto, no dia de sua partida, a imagem se tornou tão pesada que não foi possível coloca-la no batelão. As pessoas entenderam que era sua vontade permanecer em Porto Feliz, se tornando então a padroeira da cidade.

Entre algumas curiosidades sobre a cidade, podemos mencionar que foi nela que chegou o primeiro piano em toda a província de São Paulo, proveniente da Europa. Foi em Porto Feliz também que foi criada a primeira loja maçônica da província de São Paulo, em 1831. Houve também imigração belga na cidade, pois várias pessoas provenientes desse país vieram para Porto Feliz a fim de estabelecer uma colônia agrícola e a ensinar aos locais a cultura do trigo, linho, cevada e técnicas de criação de vacas leiteiras.

E nos dias de hoje…

Porto Feliz celebra seu passado histórico durante a Semana das Monções, realizada anualmente entre os dias 7 e 13 de outubro, na qual são encenadas apresentações ao ar livre retratando acontecimentos da época dos bandeirantes e das monções que ocorreram na cidade.

Se você, assim como eu, é um apaixonado pela história do Brasil, particularmente dos bandeirantes e monções, não deixe de visitar essa cidade tão importante e relevante para a nossa história. Visite esse porto tão feliz!

Por Marco André Briones – marcoandrebriones@cidadeecultura.com.br

Todas as fotos da matéria foram tiradas por Marco André Briones, em novembro de 2018.

Para saber mais dicas de turismo cultural e histórico no Brasil e no mundo, acompanhe a coluna de Marco André Briones no portal Cidade&Cultura

Porto Feliz-Foto Marco Andre Briones
Vista do Paredão Salitroso
Porto Feliz-Foto Marco Andre Briones
Batelão usado nas Monções
Porto Feliz-Foto Marco Andre Briones
Gruta Nossa Senhora de Lourdes