Imigração Japonesa em Bragança Paulista

Imigração Japonesa em Bragança PaulistaImigração no Brasil

O povo brasileiro foi formado inicialmente por índios e portugueses que deram início a um povo de personalidade única. Mais tarde, ainda no século XVI, chegaram os africanos com suas ricas tradições religiosas e sua música. Com o advento da abolição da escravatura, entram os italianos com sua comida e o jeito amoroso no trato com as pessoas e, mais tarde, os japoneses, com técnicas e hábitos totalmente diferentes do que aqui encontraram. Toda essa mistura de modos de vida e valores, objetivos e métodos de trabalhos poderia ter dado muito errado, mas o que poderia ter sido uma catástrofe se tornou um único povo internacionalmente reconhecido por sua alegria e tolerância.

Colônia Japonesa

Data de 1937 o primeiro registro da presença nipônica em Bragança Paulista, com a chegada de Rinzo Aoki. A partir do final da década de 1940 e início da seguinte, a comunidade teve um crescimento significativo, atraída principalmente pelas terras férteis e pelo clima favorável. O crescimento da colônia, e consequentemente o aumento da produção agrícola, teve seu destaque maior na cultura da batata. Além dos produtores desse tubérculo, muitos outros vieram para cultivar hortaliças, cereais, frutas e flores, assim como avicultores que aqui se instalaram.

Imigração Japonesa em Bragança PaulistaA criação da Associação Nipo-Brasileira, em 1955, se confunde com o início da Cooperativa Pensionato de Bragança Paulista, que tinha um claro objetivo: preservar as tradições, os costumes e a língua japonesa, ao mesmo tempo em que ajudava os filhos de agricultores, que muitas vezes moravam longe da cidade, a frequentar a escola em Bragança.

Esse sonho dos pioneiros – a perpetuação da língua e dos costumes – foi e é cultivado pelas diretorias que se seguiram desde a década de 1950. Hoje, com o empenho do corpo docente, coordenado pela professora Uenishi, a escola mantém cerca de 50 alunos, muitos deles não descendentes, numa mostra clara do entrosamento nipo-brasileiro, além de demonstrar a admiração que a cultura japonesa desperta em muitos brasileiros.

A união dos agricultores em torno da Nipo e do núcleo local da Cooperativa Agrícola de Cotia – Cooperativa Central tornou possível a realização da “1ª Festa da Batata”, em 1963, angariando fundos para a construção da sede social (kaikan).

O patrimônio da Nipo hoje conta com dois bens: o kaikan e o campo de beisebol, ambos localizados no bairro Águas Claras, em Bragança Paulista.

Associação nos dias de hoje

A associação completou 60 anos em 2015.  Neste ano, durante os já consagrados eventos do calendário anual, celebraram a especial data.

“Para aqueles que desejarem participar de alguma atividade da Associação, nossas portas estão abertas e todos são bem-vindos, não apenas descendentes de japoneses.”

Para maiores informações, entrar em contato pelo telefone 4033-2996 ou pelo e-mail: nipo.bp@uol.com.br. No Facebook: www.facebook.com/AssociacaoNipoBraganca

 

Fotos Natália Pellicciaro
Fotos Natália Pellicciaro

Imigração Japonesa em Bragança Paulistabraganca-paulista-historia-imigracao-japonesa-3-bxImigração Japonesa em Bragança Paulista

 

 

 

 

 

 

Para saber mais sobre Bragança Paulista, clique aqui