A Casa de Claude Monet

Sala da casa de Monet – Fotos Nathalia Weber

A casa de Monet,  um dos maiores nomes do impressionismo e das artes, fica na cidade de Giverny, França.

Filho de marceneiro, Oscar-Claude Monet nasceu em Paris, no ano de 1840, e por lá viveu até os cinco anos, quando a família mudou para Le Havre, na foz do rio Sena, norte da França.  Desde cedo Monet sabia que a pintura era o caminho a trilhar e o fez com o incentivo de sua tia Maria-Jeanne Lecadre. Aos 11 anos de idade, entrou para a escola de artes e ganhou fama por suas caricaturas. A cidade de Le Havre deu oportunidade de Monet a praticar a pintura ao ar livre, com suas lindas praias. E foi justamente na praia que conheceu Eugène Boudin. Boudin,  gênio e precursor do impressionismo, ensinou técnicas de pintura ao ar livre a Monet, iniciando-o no movimento impressionista. Depois de passar pela universidade, com certa decepção, foi estudar com Charles Gleyer e, junto com Gustave Courbet e Camille Pissarro, criaram a técnica de luz que é a maior característica do impressionismo.

Casa de Monet – Sala de Jantar

Em 1863, Monet fez duas exposições consecutivas no Salão Oficial de Pintura de Paris com as telas Ponte sobre Hève na Vazante, Estuário do Sena, Vestido Azul e A Floresta Fontainebleu.

Entre aceitações, recusas e dificuldades financeiras, Monet casou-se com Camille Doncieux e com ela teve dois filhos.

Em 1883, já viúvo Monet muda para Giverny, onde passou a flertar com Alice Hoshédé, então casada. Após sete anos de troca de correspondência e com o falecimento do marido, Alice e Claude casam-se.

No final da vida, Monet desenvolve uma catarata, por ter passado sua vida pintando sob o sol. Entretanto, não parou de pintar, apenas substituiu alguns pigmentos por cores mais fortes.

O mestre Claude Monet veio a falecer em 1926 e está enterrado na Igreja Saint-Radegonde de Giverny.

Fachada da Casa de Monet

A Casa de Monet

A Casa de Monet, em Giverny, e seus jardins são geridos pela Fundação Claude Monet. É classificada como Monumento Histórico. Aqui, Monet viveu e pintou de 1883 até 1926. Após sua morte, o lugar ficou aos cuidados de Blanche Hoschedé (enteada e nora) até 1947, quando veio a falecer. Após 30 anos, a propriedade, em estado de abandono, passa a ser tutorada por Gérald Van der Kemp e sua esposa Florence que, por meio da Versailles Foundation-Giverny Inc., conseguiram doações para a sua completa restauração. Quando, em 1980, a Casa de Monet e seus jardins foram declarados públicos, foi criada a Fundação Claude Monet.

A restauração

A própria casa em si, é uma obra, pintada com as cores da paleta de Monet, como o rosa das paredes, o verde das portas e outras cores de seu interior. Seus jardins foram sua principal inspiração, neles, Monet retratou suas maiores obras que ficaram conhecidas no mundo inteiro, como é o caso da tela A Ponte Japonesa.

Portanto, o processo de restauração seguiu técnicas rigorosas no que tange a recuperação das cores originais das paredes internas e externas e no traçado dos jardins e suas respectivas plantas e flores.

Casa de Monet – Jardim D`Eau

A propriedade

Ao visitar os jardins, podemos ver duas áreas diferentes. A primeira, denominada Clos-Normand, foi criada com flores plantadas em linha reta. A segunda, o Jardim D’Eau, com o desvio do rio Ru, Monet criou um jardim aquático onde colocou elementos japoneses, sua paixão.

Na Casa, está aberta à visitação: a cozinha, a sala de leitura, a despensa, as salas de estar e jantar, os quartos e a sala Blanche Hoschedé. A paixão de Monet pela cultura japonesa, fez com que o pintor adquirisse uma coleção de duzentas gravuras ukiyo-e, dos séculos XVIII e XIX,  com obras de Utamaro, Hokusai e Hiroshige.  No estúdio de Monet podemos comprar lembranças lindas que ajudam na manutenção do local.

Aqui, além de conhecermos a intimidade de um dos maiores pintores da humanidade, podemos refletir sobre a grandeza da natureza e do quanto ela nos influencia. Monet fez desse lugar uma obra de arte. Cada detalhe foi intensamente pensado para transmitir aconchego e plasticidade. Ao sentarmos à beira do lago e observarmos as ninfeias e as árvores que parecem derramar seus ramos como uma música a ser tocada, faz com que nossos olhos encham-se de lágrimas tamanha paz interior. Um cenário metodicamente criado por um gênio que como poucos soube captar a beleza da “luz” que nos cerca.

Clos-Normand

Giverny

A cidade onde está a Casa de Monet, Giverny, pertence à Normandia, norte da França. Giverny tem uma área de 6,45 km² e possui cerca de quinhentos habitantes. Apesar da Casa de Monet ser seu maior atrativo, sua história é bem interessante, pois a cidade foi fundada com autorização do rei Carlos II, o Calvo (840 – 875), quando deu a posse dessas terras aos monges de Saint-Denis-le-Ferment. Uma das experiências mais interessantes é caminhar nas ruas estreitas ladeadas de construções em pedras. Bucólica, é uma volta à época medieval na tranquilidade atual. Vale sair da Casa de Monet e se permitir momentos de pura admiração.

Onde: Rue Claude Monet, 84 – Giverny.

Casa de Monet – Quarto de Monet
Casa de Monet – Cozinha da casa